Formadores em Distribuição, Comercialização e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (FDCAPF)

Objetivo geral

Capacitar os participantes com conhecimentos, competências e atitudes sobre a organização e supervisão da distribuição, comercialização e aplicação de produtos fitofarmacêuticos, de forma segura e de acordo com as boas práticas fitossanitárias, para atuarem como eventuais técnicos responsáveis ou como formadores.

Conteúdos Programáticos

BLOCO I – Princípios gerais de proteção das culturas

                      I 1 – Boas práticas fitossanitárias
I 1.1 – Definição;
I 1.2 – Princípios gerais;
I 1.3 – Eficácia;
I 1.4 – Fatores que intervêm na eficácia.

                      I 2 – Meios de proteção das culturas
I 2.1 – Luta biológica;
I 2.2 – Luta cultural;
I 2.3 – Luta genética;
I 2.4 – Luta biotécnica;
I 2.5 – Luta química.

                      I 3 – Proteção integrada
I 3.1 – Evolução da proteção das plantas;
I 3.2 – Legislação específica;
I 3.3 – Princípios gerais de proteção Integrada (Diretivas em aplicação);
I 3.4 – Estimativa do risco e modelos de previsão;
I 3.5 – Nível económico de ataque (NEA);
I 3.6 – Tomada de decisão;
I 3.7 – Luta química – Seleção de produtos;
I 3.8 – Registo dos tratamentos realizados (caderno de campo).

                      I 4 – Agricultura biológica
I 4.1 – Princípios gerais;
I 4.2 – Regulamento Comunitário relativo à Agricultura Biológica.

BLOCO II – Segurança na utilização de produtos fitofarmacêuticos, sistemas regulamentares e redução do risco

                                II 1 – Produtos fitofarmacêuticos
II 1.1 – Definição de produto fitofarmacêutico;
II 1.2 – Classificação química;
II 1.3 – Modos de ação;
II 1.4 – Formulação.

                      II 2 – Sistemas regulamentares
II 2.1 – Homologação dos produtos fitofarmacêuticos;
II 2.2 – Produtos ilegais – sua identificação;
II 2.3 – Distribuição, venda e aplicação;
II 2.4 – Outra legislação aplicável ou complementar.

                      II 3 – Segurança na utilização dos produtos fitofarmacêuticos
II 3.1 – Aspetos toxicológicos inerentes à manipulação e aplicação dos produtos fitofarmacêuticos;
II 3.2 – Símbolos toxicológicos e ecotoxicológico;
II 3.3 – Informação e leitura do rótulo;
II 3.4 – Equipamento de proteção individual;
II 3.5 – Relação entre o EPI e as diferentes características dos produtos fitofarmacêuticos;
II 3.6 – Alguns sintomas de intoxicação com produtos fitofarmacêuticos.

                      II 4 – Redução do risco no manuseamento e aplicação de produtos fitofarmacêuticos
II 4.1 – Verificação das condições de trabalho, condições atmosféricas, material de aplicação a utilizar, leitura do rótulo;
II 4.2 – Cuidados com a preparação da calda;
II 4.3 – Noção de dose e de concentração da calda;
II 4.4 – Utilização do EPI correto.

                      II 5 – Redução do risco para o ambiente
II 5.1 – Impacte no ambiente do uso de produtos fitofarmacêuticos;
II 5.2 – Riscos para as espécies não visadas resultantes da aplicação dos produtos fitofarmacêuticos:
II 5.3 – Preparação da calda;
II 5.4 – Eliminação de excedentes de calda;
II 5.5 – Lavagem do equipamento de aplicação;

                      II 6 – Redução do risco para o consumidor
II 6.1 – Noção de resíduo;
II 6.2 – Limite Máximo de Resíduo;
II 6.3 – Intervalo de segurança;
II 6.4 – Exposição do consumidor e cumprimento das indicações do rótulo;
II 6.5 – Controlo de resíduos.

BLOCO III – Máquinas e técnicas de aplicação
                      III 1 – Máquinas de aplicação
III 1.1 – Principais tipos, caraterísticas, constituição e funcionamento;
III 1.2 – Critérios para a seleço das máquinas de aplicação;

                      III 2 – Utilização do trator
III 2.1 – Motor, transmissão, sistema hidráulico e painel de instrumentos;
III 2.2 – Engate e regulações comuns.

                      III 3 – Técnicas de aplicação
III 3.1 – Regulação, calibração e afinação das máquinas e material de aplicação;
III 3.2 – Arrastamento da calda;
III 3.3 – Cálculo de doses, concentrações e volumes de calda com herbicidas, inseticidas, fungicidas e outros produtos fitofarmacêuticos;
III 3.4 – Técnicas de aplicação;
III 3.5 – Conservação e manutenção do material de aplicação.

BLOCO IV – Armazenamento de produtos fitofarmacêuticos, venda responsável e acidentes

                      IV 1 – Armazenamento de produtos fitofarmacêuticos
IV 1.1 – Segurança das instalações de armazenamento;
IV 1.2 – Condições básicas para a construção dos armazéns e dos postos de venda;
IV 1.3 – Perigos durante o armazenamento;
IV 1.4 – Gestão do armazém;
IV 1.5 – Responsabilidades com a arrumação e gestão do armazém;
IV 1.6 – Supervisão e formação dos operadores realizada pelo técnico responsável;
IV 1.7 – Descarga e arrumação dos produtos no armazém;
IV 1.8 – Limpeza do armazém;
IV 1.9 – Ventilação;
IV 1.10 – Derrames acidentais;
IV 1.11 – Equipamentos para lidar com os derrames;
IV 1.12 – Stock obsoletos;
IV 1.13 – Incêndios, equipamento de deteção e combate a incêndios;
IV 1.14 – Planos de emergência;
IV 1.15 – Visita a armazém;
IV 1.16 – Sinalização.

                      IV 2 – Venda de produtos fitofarmacêuticos
IV 2.1 – Segurança das instalações de venda;
IV.2.2 – Procedimentos a seguir para uma venda correta;
IV 2.3 – Supervisão e formação dos operadores de balcão, pelo técnico responsável;
IV 2.4 – Eliminação de resíduos e de embalagens vazias;
IV 2.5 – Venda responsável;
IV 2.6 – Segurança no transporte e armazenamento de pequenas quantidades de produtos fitofarmacêuticos;
IV 2.7 – Registo da venda;
IV 2.8 – Ato responsável da venda.

                      IV 3 – Acidentes com produtos fitofarmacêuticos
IV 3.1 – Prevenção de acidentes;
IV 3.2 – Acidentes de trabalho;
IV 3.3 – Medidas de primeiros socorros.

Carga Horária

91 Horas

Contato

Veja mais
Power BI Inicial – Business Intelligence

Power BI Inicial – Business Intelligence

Power BI (Business Intelligence) O que é Business Intelligence (BI)? Antes de nos aprofundarmos no Power BI e na sua funcionalidade, é fundamental contextualizar o conceito de Business Intelligence (BI).O

Segurança em Trabalhos em Altura

Segurança em Trabalhos em Altura

Trabalhos em Altura: Risco Zero? NÃO! Segurança Total? SIM! Os trabalhos em altura representam um dos tipos de atividade mais perigosos no mercado de trabalho, com um numero significativo de

Conduzir e Operar com o Trator em Segurança (COTS)

Conduzir e Operar com o Trator em Segurança (COTS)

Conduzir e Operar com o Trator em Segurança (COTS) O curso Conduzir e Operar com o Trator em Segurança (COTS) visa aprimorar as habilidades dos participantes na condução e operação

Enviar uma mensagem
Olá 👋
Como posso ajudar?